sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Uma Carta Para o Meu Pai

Entra ano e sai ano, e Dia dos Pais é, pelo menos pra mim, um dia no mínimo estranho. É um dia em que devo comemorar e curtir um pai que não tive. Ele está lá, mas não está.

Então minha comemoração é esta carta.



       De todos os seus filhos eu fui a que brigou mais. Ah, briguei por tudo, com todos. Sempre briguei pelo que penso e sinto, deixando claro a todos em volta o que vai dentro de mim. E incomodei e incomodo muita gente até hoje, mas não ligo. Sou assim mesmo. Mas só brigo por aquilo que amo, e com quem amo. Não perco meu tempo brigando com quem não cheira nem fede, e deixei de me preocupar com o que os outros pensam de mim há muito tempo.
       Quando era menina, no meu jeito atrapalhado e adolescente, briguei por você. Muitas, infinitas vezes. Me arrebentei em briga, afinal que chance tinha uma moleca? E parecia que estava brigando COM você, mas é a falta de jeito de menina. Era POR você. O que eu mais queria era fazer parte da sua vida, conversar e contar como minha vida estava caminhando, pedir um conselho, um carinho.
       Os anos foram passando e a força pra brigar foi acabando, acabando. Afinal eu estava moça e tinha de trabalhar, fazer minha vida, crescer. E assim foi. Fiz faculdade, saí tradutora, trabalhei tanto que você nem sabe. Namorei, desnamorei, quase casei. E no meio disso tudo aprendi a ver você como um ser humano, e não um super-herói. Foi difícil, mas eu vi. E aí aprendi também a conviver melhor com a ausência, numa jogada de auto-defesa. Foi traumático no início, fiquei sem falar com você durante dois anos, lembra? Mas foi bom, o desapego fez tudo ficar mais fácil.
       Deixei de esperar demais. Mas o engraçado (ou irônico, vai entender) é que nunca deixei de esperar de todo. Até hoje eu espero. Espero um telefonema, um carinho, um convite, uma visita, uma lembrança assim no meio da semana porque deu saudade, um elogio por alguma coisa super legal que eu tenha feito. Deve ser o restinho daquela menina lá atrás que vai ficar em mim pra sempre. Até você já me disse isso uma vez, que agora sou adulta, e esperar isso tudo é coisa de criança. E pode ser mesmo. É o que venho repetindo pra você, em tons diferentes, desde criança. Não mudou.
       E eu queria entender. Queria saber onde está o pulo desse gato. Talvez eu te incomode muito, vá saber, e aí você fica longe. Talvez você não saiba como chegar mais perto, e eu não tenha explicado direito até hoje. Talvez você ache que eu espero de você alguma coisa assim enorme, quando na verdade eu só quero ser sua filha também. Talvez você veja em mim a minha mãe e isso doa, mas eu não sou a minha mãe.
       Ou talvez você se veja em mim e tenha medo.
       Mas eu te amo.

6 comentários:

Graziella disse...

Como já te disse, "cala fundo". Fala por tantas vozes já sem som, por aí, mundo afora... minha voz, entre elas...

Anamaria Leme disse...

pai-aço... pai-pite infeliz... abestado.. como que não vê que a coisa é simples assim??
dá um beijinho, segura na mãozinha e diz: minha filha querida, tá tudo certo. agora to aqui. (vai na minha que dá certo!!)

LUISÃO disse...

Dekka, eu já te falei e repito com toda a certeza do mundo... esse texto é uma das coisas mais lindas que eu já li em todos esses anos! Eu já divulguei no meu Twitter e no Pub e vou divulgar sem parar por que é algo fantástico. Você conseguiu abrir mais que o coração, abriu sua alma, de uma maneira linda... transformou uma cicatriz em algo tão bonito.
Eu já era seu fã, hj sou muito mais.
Em poucas palavras e do meu jeito... VC É FODA!

Livia disse...

nossa me emocionei...tenho uma relação tb muito dificil com o meu pai e sei bem doq vc escreveu ai...o quanto dói o qnt deixou marcas...amei o texto perfeito.....dá ate vontade de mandar pro meu pai ler...ahahaahha muito bom ler suas palavras sempre...beijos enormes...

M.M.Soriano disse...

Belo Blog! Bela caligrafia! Amo as letras. Principalmente o espaço vazio entre elas. Um silêncio que encanta! Voltarei aqui sempre tb!

M.M.Soriano
www.soriano.blog.br

LUISÃO disse...

Caramba Dekka, faz quase um ano e ainda acho este texto sensacional. É algo atemporal. Parabéns linda Dekka. Ver sua felicidade do lado do seu pai hj me deixa muito alegre. Vc merece todo sucesso do mundo.